Muito tempo sentado: a atividade física pode contrabalancear o risco !

Um estudo realizado em mais de 1 milhão de participantes com acompanhamento por 2 a 18 anos, revelou que a prática de 60 minutos diários de atividade física pode contrabalancear o efeito nocivo de permanecer sentado por mais de 8 horas diárias. 

A prática de atividade física diária por 60 minutos revelou nestes indivíduos que o risco relativo de morte se equiparou aos indivíduos que permanecem sentados menos de 4 horas diárias. 

Isto é uma ótima notícia para resolver esta questão do estilo de vida atual, onde o trabalho com os computadores e demais tecnologias de comunicação à distância, levam os indivíduos a permanecerem cada vez mais sentados e realizarem todo o trabalho pela internet.

Vale dizer que pode-se fracionar estes 60 minutos em 2 etapas de 30 minutos ou 4 etapas de 15 minutos.  Também é importante salientar que uma caminhada vigorosa ao invés de usar algum transporte, subir escadas ao invés de pegar o elevador, entre outras atividades corriqueiras, são válidas para obter os benefícios do estudo.

Então… mexa-se !  Seu corpo agradece !

graphicstock-beautiful-fit-senior-couple-in-gym-working-out-with-SMALL

Referencia:  Ekelund U et al. Does physical activity attenuate, or even eliminate, the detrimental association of sitting time with mortality? A harmonised meta-analysis of data from more than 1 million men and women. The Lancet 2016; 388(10051): 1302-1310.

http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(16)30370-1/fulltext

2 comentários em “Muito tempo sentado: a atividade física pode contrabalancear o risco !”

    1. Olá Teresinha. Veja… Tudo depende essencialmente do tipo de tumor maligno e do estágio em que esse câncer se encontra. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais chances de o tratamento dar certo. É importantíssimo lembrar que mesmo pacientes que não têm cura podem viver por muitos anos com boa qualidade de vida, com a doença controlada e tratada, como qualquer doença crônica. O importante é descobrir o câncer no início e tratá-lo adequadamente. Exitem muitos tipos diferentes de cânceres malignos. Cada tipo reage ao tratamento de forma própria. Cada tipo tem preferência por certo órgão. Por exemplo, o tipo que ataca o pulmão é diferente do que ataca o fígado. Portanto, o tratamento também é diferente. Quando o câncer maligno tem causa genética, ou seja, é causado por um defeito no DNA da pessoa, até pouco tempo, uns 10 anos, era realmente sem cura. O tratamento só conseguia aumentar algum tempo de vida. Mas com a descoberta do genoma e a produção de quimioterápicos modernos, surgiram bons resultados. Por exemplo, o câncer de mama maligno atualmente, além da cirurgia, quimioterapia e radioterapia, conforme o caso, é tratado com um medicamento chamado Trastuzumabe, que age no gene e impede que o câncer volte. Não garante 100%, (nada garante, não é mesmo?) mas muitos casos já alcançaram mais de 10 anos de sobrevida ou mais… Portanto, a explicação é bem longa e depende de muitos fatores. O principal é seguir o tratamento que o médico oncologista prescrever corretamente e sempre ter um estilo de vida saudável: alimentação saudável, não fumar, não beber alcoólicos, evitar obesidade, evitar frituras, evitar alimentos queimados ou torrados demais, evitar embutidos, evitar açucares, fazer um pouco de exercícios físicos, dormir corretamente, beber água de boa qualidade, e claro, manter sempre acompanhamento com seus médicos, através de exames e consultas. Disponha e até breve!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s